O que é Fibrina e qual seu uso na odontologia?

27/11/2017

A fibrina é uma proteína que atua como uma primeira resposta sempre que seu corpo está ferido, desempenhando um papel importante no processo de coagulação do sangue. Quando ocorre qualquer tipo de lesão que gera o extravasamento do sangue se inicia a coagulação, um alerta é então enviado para que o corpo inicie a produção de fibrina.

Em forma de fios longos, cada molécula de fibrina se entrelaça para formar uma fina malha ao redor da lesão. Esta malha estanca o sangue capturando hemácias, leucócitos e plaquetas, gerando um coágulo e formando uma espécie de tampão no local lesionado.

Por essa razão, a fibrina permite uma série de interações celulares e fornece uma matriz provisória na qual as células podem proliferar, organizar e desempenhar suas funções, principalmente em locais que sofreram lesão ou inflamação.

Há alguns anos o Plasma Rico em Fibrina (PRF) vem sendo utilizado com o objetivo de acelerar a cicatrização e a regeneração em diversos procedimentos cirúrgicos, principalmente ortopedia, neurologia e cirurgia plástica. Na área odontológica vem sendo empregado em pequenos enxertos ósseos para implantes dentários, em cirurgias periodontais e maxilo-faciais.

Aplicação da Fibrina na Odontologia

Apesar da utilização da fibrina ainda ser pequena em odontologia esta é uma técnica que vem sendo muito estudada, apontando um grande potencial de melhoria de resultados em diversos procedimentos.

Os avanços ao longo dos anos permitiram sua aplicação nos consultórios e constitui hoje uma grande inovação nas cirurgias orais. O Plasma Rico em Fibrina é utilizado na odontologia regenerativa como um concentrado de fatores de crescimento autólogo capaz de estimular a regeneração tecidual.

Esses fatores de crescimento são responsáveis ​​pelo aumento da produção de colágeno, mitose celular, crescimento dos vasos sanguíneos, recrutamento de outras células que migram para o local da lesão, auxiliando a produção de um novo tecido para o paciente.

Por ser tratar de uma modalidade autóloga, quando o material é retirado do próprio paciente, diminui-se ou elimina também o risco de rejeição ou infecções.

É desta forma que o PRF se mostra tão eficiente no processo de aceleração da regeneração de tecido moles e duros em odontologia. Visto que se apresenta como um coágulo otimizado, formando uma estrutura que permite a reconstituição do enxerto com células do próprio paciente, induzindo o processo de cicatrização natural com muito mais rapidez.

Processo de preparação do Plasma Rico em Fibrina (PRF)

O Plasma rico em Fibrina é um biomaterial derivado do sangue humano e a técnica usada para sua extração é muito simples e fácil.

Uma amostra de sangue é extraída do paciente imediatamente antes do procedimento cirúrgico. O tubo com o sangue não pode conter nenhum tipo de aditivo.

O sangue é então colocado em uma centrífuga para realizar a separação:

  • Primeira camada: líquido transparente, plasma
  • Segunda camada: espessa e amarela, plasma rico em fibrina (PRF)
  • Terceira camada: vermelha, glóbulos vermelhos

A segunda camada que contém o PRF é utilizada e as demais serão descartadas. Deve-se ter muito cuidado com a manipulação do tubo para que o material não se misture novamente.

O dentista fará a aplicação do PRF no paciente e isso irá acelerar o processo de cicatrização e também minimizar o desconforto do paciente no pós-operatório.

O sucesso desta técnica depende inteiramente do intervalo de tempo entre a coleta de sangue e sua transferência para centrifugação.

Vantagens do uso do PRF

  • Sua preparação é uma técnica simplificada e eficiente, com centrifugação em um único passo e acessível para todos os clínicos.
  • É obtido por amostra de sangue autóloga com manipulação mínima do sangue.
  • Sem risco de sofrer uma reação imunológica, uma vez que o sangue é do próprio paciente.
  • Estrutura de fibrina natural com fatores de crescimento que estimulam a regeneração dos tecidos de forma eficaz.
  • Pode ser utilizado unicamente ou em combinação com enxertos ósseos, dependendo da finalidade.

Referência

  • MARQUI, Amanda Cavalli; MIGUEL, Diego Felipe; MAGALHÃES, José Cássio de Almeida. Comparação Entre a Técnica Plasma Rico em Plaquetas e Plasma Rico em Fibrina e sua Utilização em Odontologia. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 2, Vol. 13.janeiro de 2017.
  • MAGINI, Ricardo Souza, BENFATTI, Cesar Magalhães, DE SOUZA, Júlio Matias. Noções de Implantodontia Cirúrgica - Série Abeno. Artes Médicas. 2016.
  • Naik B, Karunakar P, Jayadev M, Marshal VR. Role of Platelet rich fibrin in wound healing: A critical review. Journal of Conservative Dentistry : JCD. 2013.
  • Borie E, Oliví DG, Orsi IA, et al. Platelet-rich fibrin application in dentistry: a literature review. International Journal of Clinical and Experimental Medicine. 2015.
  • Kumar KR, Genmorgan K, Abdul Rahman SM, Rajan MA, Kumar TA, Prasad VS. Role of plasma-rich fibrin in oral surgery. Journal of Pharmacy & Bioallied Sciences. 2016